Entenda a relação entre a tireoide e o ganho de peso

Alessandra Rascovski Gobbi

Escrito por
Alessandra Rascovski Gobbi

Endocrinologia e Metabologia – CRM 80126/SP

Por Especialistas – Em 19/10/2016

compartilhar

salvar

compartilhar

A tireoide é uma glândula em forma de borboleta, que fica localizada na parte anterior pescoço, logo abaixo da região conhecida popularmente como ?gogó?. Tem um peso aproximado de 15 a 25 gramas (no adulto). Ela age na função de órgãos importantes como o coração, cérebro, fígado e rins. Também desempenha um papel no crescimento e desenvolvimento das crianças e adolescentes, na regulação dos ciclos menstruais, na fertilidade, no peso, na memória, na concentração e no humor. Como um maestro de orquestra, quando em perfeito estado de funcionamento, garante o equilíbrio e a harmonia do organismo. Se houver produção insuficiente ou exagerada dos hormônios tireoidianos temos o hipotireoidismo ou hipertireoidismo, respectivamente.

No hipotireoidismo, tudo começa a funcionar mais lentamente no corpo: o coração bate mais devagar, o intestino prende e o crescimento pode ficar comprometido. Ocorrem, também, cansaço excessivo; dores musculares e articulares; sonolência; pele seca; ganho de peso; aumento nos níveis de colesterol no sangue e, até depressão. Na verdade, o organismo fica todo mais devagar. Enquanto no hipertireoidismo, tudo no nosso corpo começa a funcionar rápido demais: o coração dispara, geralmente acima de 100 batimentos por minuto; o intestino solta; a pessoa fica agitada; dorme pouco, pois se sente muito acelerada, mas também muito cansada (esgotada). Nervosismo, mãos trêmulas e sudoreicas, ondas de calor repentinas e perda de peso acentuada sem intenção também aparecem.

Alguns sintomas, no entanto, são os mesmos nos dois quadros clínicos, como enfraquecimento e queda de cabelos, fraqueza e dores musculares e alterações no ciclo menstrual. Também pode aumentar as chances de aborto e do risco de osteoporose e fraturas. A semelhança entre os sintomas é um fator que dificulta o diagnóstico do tipo de doença na tireóide, por isso os exames TSH sérico e ultrassom da tireoide são essenciais para fazer o diagnóstico.

O metabolismo de uma pessoa com hipotireoidismo sem tratamento fica mais lento, logo, mesmo realizando atividade física e dieta, o organismo perde menos energia do que o esperado. Além disso, o que a balança mostra muitas vezes, espelha a maior retenção de líquidos, que aumenta o peso. Contudo, quando se começa a tratar o hipotireoidismo, pode ocorrer diminuição do peso, que é modesta e primariamente mais por perda de líquidos do que de gordura. Obesidade está associada ao diagnóstico de hipotireoidismo em menos de 5% dos casos.

Vários estudos demonstram que as pessoas que ganham peso com hipotireoidismo aumentam o peso no máximo em até 10%. E quando são devidamente tratados voltam a perder peso, desde que os vilões, como sedentarismo e alimentação inadequada sejam abordados.

No hipertireoidismo descompensado a rápida perda de peso pode ser relevante, mas após diagnóstico e tratamento, há readequação do peso. Vale lembrar, que hormônios tireoidianos não devem ser tomados com objetivo de emagrecer, já que promovem maior perda de músculos do que de gordura!

SAIBA MAIS

Insônia, cansaço extremo e inchaço podem indicar problemas na tireoide

Hipotireoidismo: oito dúvidas sobre a doença da tireoide

Veja Abaixo mais Postagens sobre Saúde Vida e Bem Estar que Separamos para Você!

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =

Scroll Up